Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

sexta-feira, 30 de maio de 2014





Morrer

“Não morremos para nós mesmos; morremos uns para os outros”
Georges Bernanos





A profundidade deste pensamento conduz-nos a amplos campos exploratórios daquilo que continua a ser a principal limitação do homem:  desconhecer o morrer!
Este ciclo de renovação, torna-se ideal a uma profunda reflexão sobre o que estamos a criar (aqui e agora) para nós, na vida além vida.
“ Não morremos para nós mesmos”, na dimensão incorpórea, nós não ficamos libertos da consciência, que na sua plena lucidez vive, aprende, evolui, ou ainda, pode estagnar, regredir ou vivenciar sofrimento por um longo período.
Esta é a paleta de escolhas que está sob a nossa responsabilidade, e certamente, do seu usufruto.
O veículo de transporte para a grande viagem, é tão só a vibração emitida pela radiação do nosso grau de consciência.
E é essa força gravitacional que nos vai apear na estação adequada (compatível) com a nossa vibração.
Entre os vários planos do reino astral, encontram-se vias de ensino, formas de aprimorar conhecimentos, entidades assistenciais, das quais usufruímos após a partida deste plano.
No entanto, e tal como acontece por cá, não podemos vislumbrar o que desconhecemos, ou aceitar o que os dogmas nos levam a desacreditar, ou ainda o que o nosso medo disfarçado de indiferença nos restringe, ou seja, o acesso à verdade que emerge pelo conhecimento, que por sua vez aflora as experiências tantas vezes já vividas.

Citando S.S. Dalai Lama:
“devemos aprender a morrer, para melhor viver”

Ninguém se torna mais iluminado porque morre, a Luz, é aquela que diariamente fomentamos com o nosso Ser e Estar, essa, será o farol guia do nosso acostar a outras margens.
Que estes princípios nos permitam ainda perceber que o trabalho é contínuo, que a comunicação energética entre planos também, e que é nosso labor principal sermos geradores de luz.
Apego/dependência, desafectos, desentendimentos, mágoas alimentadas, tornam-se pesadas correntes nos sub-planos do mundo astral.
A missão de cada ser, cada uma com suas cores, passa por burilar as asas, para que no momento crucial do regresso ao lar, possamos voar na limpidez do transmitido, pela intenção redimido, no amor incondicional sublimado.
Queridos Amigos, a paz na vida além vida é preciosa, fundamental à evolução do nosso espírito, mas atentem que é aqui, e é agora, que como uma minúscula missanga a acrescentamos ao colar dos feitos da nossa vida, pelo fio do dia-a-dia.

Maria Adelina Lopes







quinta-feira, 29 de maio de 2014


Vi a imagem de um homem e ouvi: 
"Será julgado pela nova matéria".

A energia de que tenho falado. A nova energia criadora.
Essa energia cósmica, obedece a uma lógica matemática,
leis que não sentem compaixão. Os nossos erros não serão perdoados pela lei cósmica deste Universo. O que usamos, o que pedimos, um dia tem de ser pago. Por isso tudo exige uma troca.
Ao se receber tem de se dar. Há um karma, há uma roda da vida. Tudo tem de ser pago.
Deus é o Deus de salvação desta lei que nos mantém presos a ela para sempre. Tudo nesta dimensão tem de ser conquistado, tem de se viver pela justiça, pela norma cósmica, pela causa/efeito. Quando usufruímos de um milagre, esse que vem da tal Árvore da Vida, a "nova matéria", algo forte e poderoso, teremos de devolver algo nesse valor, até gastarmos os nossos recursos de Ser, e ter de pagar com a alma. Deus perdoa, o cosmos não. Deus dá sem pedir em troca. Deus ama gratuitamente. Deus oferece de graça. Só Ele tem o poder de fazer milagres gratuitamente, sem pedir-nos nada em troca.
Só Jesus veio a esta dimensão para nos resgatar dela, para podermos sair dela sem ter de pagar todos os nossos erros. O Inferno é a ausência de perdão. O Céu é gratuito, dado não por merecermos, mas por amor, por compaixão e amor. Só há uma forma de saírmos desta Roda da Vida sem fim, e esse Caminho é Deus, vivendo em Caridade e Compaixão para com os outros.
Tudo se resume a amor, compaixão e caridade, como caminho para Deus, como sinal que escolhemos Deus. Só há essa vereda.
Ainda que tenha descoberto todos os mistérios, se não tiver caridade, de nada me vale;
Se souber todas as línguas e conhecer todas as culturas, se souber ler todos os pensamentos e for visitado por milhões de pessoas pela minha sabedoria, se não tiver caridade, de nada me vale.
Se for melhor que todos os meus irmãos, no meu trabalho, nas minhas palavras e no meu êxito,
se não tiver compaixão, nem orar pelos outros, nem der comida, roupa, conforto, amor atenção, de nada me vale;
Ainda que saiba todos os segredos do cosmos e saiba como fazer grandes milagres, se não tiver paciência para escutar o sofrimento dos outros, se não cuidar dos animais, os amar e os defender, não sou nada.
Esta é a medida para todo o homem, porque Deus não perguntará quantas línguas aprendemos, que notas tirámos na faculdade, quanto conseguimos juntar. Mas, o que fizemos pelos outros. Porque o que fizermos pelos outros, é a Deus que o faremos. A caridade é a única medida para a "salvação". Acessível aos sábios e aos néscios; acessível aos ricos e pobres, aos do campo e da cidade, aos cultos e aos iletrados, aos do Norte e do Sul, aos pequenos e grandes. Ela é o enfeite mais belo no rosto de um homem.
Por isso, não esqueço aquele homem que me pediu e não dei. E a senhora que se encostou ao poste e eu não ajudei, o menino que insistiu e eu ignorei. E por isso terei de aprender a não julgar absolutamente ninguém pelo que parece. Só Deus conhece o seu coração, a sua bondade, o seu amor. Só Ele.


Isabel Barbas

Blogue O Campo de Trigo




quinta-feira, 22 de maio de 2014

Quantas mortes podemos vivenciar numa só vida



Quantas mortes podemos vivenciar numa só vida


Por inúmeras vezes, e ao longo dos últimos seis anos, fomos alertados, para o facto de que vivemos tempos de profundas mudanças, de acertos e remissão, e repetidamente afirmamos que os actualmente encarnados vivem muitas vidas numa só vida.
Devemos agora referir as muitas mortes que experimentamos neste ciclo vivencial. Porque é disso que se trata meus amigos. Além da morte diária que ocorre no plano físico todas as noites quando adormecemos, outras maravilhosas mortes estão a ocorrer com cada vez mais pessoas, a cada dia, tais como:

- Transmutação – Expansão Consciencial – Novo Paradigma – vislumbre da  5ª Dimensão…

Estas são apenas algumas denominações para a Bancada Alquímica da qual somos os materiais e os alquimistas, nós Somos a Pedra Filosofal, a Grande Revelação de Deus.

O planeta comporta já dois campos energéticos diferenciados, entre um e outro, medeiam as nossas “mortes”, que de forma intensa os Iniciados estão a vivenciar.
Estas, pautam-se e vestem-se de diferentes maneiras que de tão variadas e pessoais não iremos abordar aqui, no entanto devemos estar atentos pois é nos meios mais próximos de nós que emergem as ferramentas do divino que estimulam e sustêm o nosso salto.
Apenas pela luz da plena gratidão e compaixão poderemos aproveitar pela positiva essas grandes provas.
No eterno jogo entre a luz e a sombra, forças ocultas agregam-se  de forma intensa e  “in extremis”, num processo concertado, fazendo uso de todas as brechas possíveis entre aqueles que fazem frente ao “status quo” da baixa sintonia vibracional do planeta, e da maioria dos seus habitantes.
De forma quase sempre inconsciente são muitos os seres que são usados para fomentarem a instabilidade noutros tantos, e se permitem essa envolvência quando desavisados ou em desarmonia psico/emocional.
A todos os portadores da luz recomendamos reflexão constante, diária, sobre os próprios pensamentos, e o sempre presente “orar e vigiar” além da prece que deve fazer parte do nosso dia-a-dia:

“Pai Nosso que estais no Céu…”

Paz, Luz, Harmonia




Maria Adelina



terça-feira, 20 de maio de 2014

Questão de Opinião - Roberto Crema


O QUE É UM MESTRE ESPIRITUAL?


Dada a natureza do mundo espiritual, é preferível não penetrar nele do que penetrar sem guia, como algumas pessoas fazem, para sua infelicidade. Compraram livros onde vêm expostas técnicas de concentração, de meditação e de respiração, e ei-las lançadas em exercícios que acabam por transtorná-las física e psiquicamente. Sim! Como é possível tantas pessoas, que jamais teriam a ideia de escalar uma montanha sem guia, aventurarem-se sozinhas na exploração do mundo psíquico? Elas não viram que os perigos de se perderem, de caírem em precipícios ou de ficarem submersas nas avalanches são muito maiores nessas circunstâncias. É extraordinário! Elas pensam que podem desembaraçar-se muito bem sozinhas no mundo psíquico! Por isso há tantos desequilibrados entre os que se dizem espiritualistas.
Vós perguntareis: «Sim, mas como é que se reconhece um verdadeiro Mestre? Existem tantos impostores e charlatães prontos a aproveitar-se da credulidade dos humanos!» Um verdadeiro Mestre, no sentido espiritual do termo, é um ser que, em primeiro lugar, conhece as verdades essenciais; não o que este filósofo ou aquele pensador escreveram, mas o essencial, segundo a Inteligência Cósmica. Em segundo lugar, ele deve ter tido a vontade de dominar, submeter e controlar tudo em si próprio, e ter conseguido esse objetivo. Finalmente, ele só deve servir-se da ciência e do domínio que adquiriu para manifestar todas as qualidades e virtudes do amor desinteressado! É por esta qualidade – o desinteresse – que reconhecereis um verdadeiro Mestre.
Cada Mestre vem à terra para manifestar mais especificamente uma qualidade: há, pois, Mestres da sabedoria, Mestres do amor, ou da força, ou da pureza… e compete a cada um de vós escolher aquele por quem sentis maior afinidade para o vosso desenvolvimento espiritual. Mas todos os verdadeiros grandes Mestres têm, obrigatoriamente, esta qualidade comum: o desinteresse. 


Mestre Omraam Mikhaël Aïvanhov



segunda-feira, 19 de maio de 2014


Seja Consciente da Consciência


Recomendamos a leitura deste artigo


http://www.fundacaomaitreya.com/artigo.php?ida=773&p=1

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Mensagem de Despedida do Sol

Mensagem de Despedida do Sol

A noite escoou-se devagarinho
Fiz trono da terra orvalhada
Na busca pelo nascer do sol

Ele veio, mas não do nascente
Sua origem era o poente
Em suave toque de cor

Com voz melodia fez saber:

“ - A força que irradia e sustenta o meu rumar é aquela que se pode encontrar nos corações a amar
- O brilho que me outorgam, é o reflexo dos seres que na tormenta fazem corda para aos outros elevar
- A beleza que me cantas, é o refrão consumado do vosso fraterno viver louvado pelas odes celestes
- Se eu esmorecer, e vosso rasto perder, sois minha herança para o mundo renascer
- Em cada coração deponho o dom de iluminar e aquecer, pois vossa génese é solar
- Os meus compostos são a luz e o calor, ao qual chamais amor, para quem o quiser tomar.”

E em jeito apressado de quem está atrasado, em balanço gracioso, aspergiu-me com o aroma do mar, e voltou ao seu lugar.

Maria Adelina




Matias De Stefano - Ater Tumti - A Herança Universal (leg. português)

Lua Cheia de Vesak ou Lua de Buda


Lua Cheia de 14 de Maio de 2014

A Lua na sua fase de total iluminação, Lua Cheia, na Constelação de Escorpião fará a 14 de Maio, Quarta-feira às 19h17, o Aspecto de Oposição ao Sol na Constelação de Touro nos 23º55 (graus).

Em termos astrológicos, o signo de Touro, onde o Sol se encontrará (Constelação de Touro), é regido por Vénus, mitologicamente o planeta da harmonia e do Amor. Será a oportunidade de transcender sentimentos e emoções para uma oitava superior: a do Amor Universal. E com o Vesak, porque não tentar chegar a Shambāla? Prepare-se à noite de 13 para 14 com alimentação frugal durante o dia, recolhimento e Meditação. O corpo apaziguado pela purificação repousará serenamente e em Consciência poderá alcançar os Planos de Shambāla.

Segundo Leadheabther no seu precioso livro “Os Mestres e a Senda”, «Num platô rodeado de colinas não muito altas, ao norte dos Himālayas, não longe da fronteira do Nepal e talvez a uns 640 km a oeste da cidade de Lhasa» reúnem-se nesta comemoração os Grandes Seres da Fraternidade Branca ou Hierarquia Planetária presidida pelo Mahachohan.

Muitos peregrinos dirigem-se em corpo físico outros nos seus “veículos” espirituais para esta zona dos Himālayas onde jorra especialmente a energia da bênção do Senhor Buddha, o qual se mostra à multidão. Rodeado de Adeptos, os Mestres dos quais os mais conhecidos no Ocidente são o Senhor Maitreya, o Mestre Jesus, Mestre Morya e Mestre Kutumi.

Maria Ferreira da Silva

  04 Mai 2014

domingo, 4 de maio de 2014

As Magníficas MARIAS


Carta a um ET que conheci








Carta a um ET que conheci :











Querido ET

A toda a hora se pode ver nos jornais que estamos no mês de Abril e no ano 2014. Tu e eu, sabemos que não. Quando há muitos anos me confidenciaste que o mundo acabaria no ano 2000, fiquei assustada. Contei à família mas não valorizaram e disseram que “o que tu estiveste foi a sonhar, amanhã já nem te lembras”. Não falei a mais ninguém. Nesse dia 31 de Dezembro levantei o dinheirinho do Banco, fiz uma jantarada com amigos e amigas, ofereci presentes à miudagem e deixei todas as luzes acesas (afinal não ia pagar a electricidade). Ao sair do prédio deitei a língua de fora àquele meu vizinho psicopata e ele nem reagiu. Ah a surpresa petrificou-o e pela primeira vez não foi a correr de braços no ar a enxotar as pombas . Também pedi desculpa ao Zé por um dia lhe ter dado uma bofetada (fi-lo só para mostrar às colegas que era capaz), mas o Zé não me tinha feito nada. Passei pela porta da igreja e benzi-me ( como estas coisas não custam nada, e nunca se sabe...). E entrou, como tu disseste, o ano 2000.
Nesse instante o mundo acabou. Pouca gente se apercebeu porque não apareceram coisas a voar, nem ventania ou trovoada. A lua estranhamente ficou quieta (pensei que ela iria cair). Um cão ladrou (mas os outros não). Contudo, muitas urgências dos hospitais já desapareceram, também maternidades, postos de correio e escolas foram desactivados... Acontecem coisas malucas como pessoas que trabalharam um ano receberem mais de reforma do que as que trabalharam 40 anos. Outros enriquecem de repente e dizem que não. Quem rouba um pacote de bolachas vai preso mas quem rouba toda uma comunidade vai de férias. Alguns até têm direito a avião particular e lençóis de seda. Estudantes que não estudam, passam de ano e até batem nos professores...Pessoas bem vestidas que vêm à televisão enganar outras pessoas. E o povo acha normal…
Querido ET, eu pensei que acabar o mundo ia doer, mas tanto não!
Se passares por perto, vem recolher-me na tua nave e leva-me contigo. Mas não passes pelas SCUTS porque já se paga. E não estaciones ali no fundo da rua porque o carjaking é quase diário.
Não sei se entendes, mas isto aqui já não existe, é tudo “de mentirinha” . O povo morreu e não sabe.
Aterra aqui no jardim do condomínio amanhã pelas 20h. Ninguém te verá, os adultos estarão tomando o ópio das notícias frente à televisão. As crianças agarradas aos telemóveis e Ipads , metidas nos seus quartos, afastadas da família, não irão dar por nada. E se alguém andar ca fora a passear o cão , pensará que está a alienar com tanta carga na psi por causa da crise.
Vem tranquilo. Faz um pisca de luzes azuis para eu saber quando chegas.

Entretanto recebe o meu abraço

Manu ( Manuela Graça)





sexta-feira, 2 de maio de 2014

Consciência

                                       


 CONSCIÊNCIA 

Pensa na consciência. Pensa o quão profunda é a elaboração da consciência. Pensa em quantos neurónios e átomos seriam necessários para elaborar a consciência humana. Pensa em quão sofisticado seria o aparelho que pudesse medir a consciência.

Pensa no Universo imenso que vocês possuem. Um Universo ilimitado, se considerarem que os seres de luz estão aqui para iluminar a vossa consciência. Pensa em quão dignificante poderia ser a vossa vida, se vocês realmente usufruíssem da ligação, ao ponto de nos deixarem interferir na vossa vida, de uma forma clara e inteligível. De uma forma abstracta e abrangente. De uma forma total.

Seriam grandes homens, vocês. Iriam utilizar a maior arma que o ser humano tem, a consciência. Aliada à maior ferramenta de expansão, a conexão. O canal aberto. A abertura energética ao céu, o que vos permitiria escolher, passar pelas experiências, dar-lhes significado e seguir em frente.

Eu estou aqui, eu posso ajudar, mas só se as mentes e as almas estiverem abertas para me receber. Os corações fechados não têm volta. Não há como reanimá-los. 
Faz parte da tua escolha abrir o coração, para que eu possa entrar e assim executar o meu desígnio. A tua consciência liga-se a mim, e é aí que eu apareço. E ajo na tua vida, e faço o que tenho a fazer. E tu pensas que são milagres. Os milagres não são mais do que a minha intervenção na matéria. A intervenção divina, como se diz aí em baixo.

Mas o divino necessita de um convite para entrar. Necessita que o escolham, necessita de um coração aberto. Mais do que tudo, mais do que meditação, mais do que elevação, comecem por abrir. Abrir o coração. Olhar para o céu e compreender que eu posso entrar, se vocês deixarem. Se vocês se abrirem. 


Isabel Santos