Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

Google+ Followers

quinta-feira, 29 de março de 2018

Mistérios

 

“Muitas pessoas desejam saber detalhes sobre o Mundo Subtil, (do que está além da percepção dos sentidos), porém a maioria delas não compreende que toda percepção do Mundo Subtil é relativa, pois depende do desenvolvimento da consciência. Assim, cada um o percebe de acordo com o seu estado de consciência”

- Ética Viva –


Voltamos à metafísica e à grande curiosidade que esta suscita actualmente nas mais variadas camadas sociais.

Quantas vezes sob a capa da ironia e de um manifesto desinteresse, os “descrentes “ sentem o apelo generalizado do mistério.
Mistério, é tudo aquilo que a nossa mente racional não tem capacidade de abarcar. Isto não significa que esse facto seja um enigma, ou algo inexplicável.
Em cada uma das nossas vidas, e a cada momento das mesmas, temos sempre as ferramentas básicas que nos permitem trabalhar o nosso desenvolvimento.
O uso que fazemos das mesmas, e o resultado desse trabalho, são a chave da arca do tesouro. E este, mais não é que a renovação de mais e melhores ferramentas que nos permitam o acesso a novas paragens, onde se chega, por caminhos de mistérios desvendados.
Meus amigos o “oculto” de qualquer conhecimento, é apenas a densidade do nosso próprio véu.
É sempre pela intenção de superação, mas mais ainda pela pureza da mesma, que esses véus se vão descerrando.
Em épocas remotas, o conhecimento era preservado ciosamente.
Os mestres das antigas escolas iniciáticas guiavam-se pelo Mito de Elêusis, ou Doutrina da Vida Universal que:  o grão de trigo (alma) de Elêusis, que renasce das entranhas da terra como planta, à luz do dia, depois de abrir caminho à vida divina através da escuridão (esquecimento) em que germina.
Como tal, eram muito poucos os que eram aceites como Iniciados no percurso do conhecimento
Nos tempos actuais, e ao contrário de épocas passadas, o conhecimento já não está retido nos Conventos ou nas Escolas de Mistérios, está ao alcance de todos! Como uma grande latada, os frutos crescem generosos por todo lado.
A pergunta é, porque não os vemos?...porque é preciso levantar a cabeça….crescer em conhecimento e integração do mesmo.
Quando nos permitirmos soltar dos elásticos que nos mantêm dobrados sob o jugo da materialidade – sob o peso de séculos de dogmas – das amarras dos nossos medos, poderemos então alçar o olhar, e eles, os frutos do saber, estão onde sempre estiveram, ali, bem ao alcance da nossa mão.

Maria Adelina de Jesus Lopes



Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja Bem-Vindo