Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

Google+ Followers

segunda-feira, 26 de março de 2018

Assédio Espiritual e Profilaxia da Alma



Entre as milhares de reflexões que partilhamos ao longo dos anos, algumas delas tiveram uma receptividade especial junto de Vós. Títulos como: “  Metafísica ” – “Obsessores, Gente Como a Gente” – “Mediunidade Conhecimento Espiritualidade”, foram alguns dos temas mais lidos e debatidos.
Estes dados confirmam que seja qual seja a formação ou crença religiosa ou filosófica, existe uma necessidade generalizada de conhecimentos acerca da metafísica e que o estudo dos mesmos permite uma maior e melhor compreensão quer do sentido da vida, quer das demais dimensões e planos da existência, e do Universo.
No entanto, e apesar da “certificação” pela OMS (Desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já reconhece oficialmente esse estado inserido no seu Código Internacional de Doenças (CID 10, item F.44.3 -) este tema continua a ser tabu.
Existem algumas razões para tal, e são derivadas à pouca seriedade e responsabilidade com que muitas pessoas abordam o assunto, ou que os deturpam pela via da sua mercantilização.
Ainda que numa abordagem ligeira, vamos falar um pouco sobre assédio, neste caso pela via espiritual.
São vários os factores que dão azo a uma situação de assédio, sendo os mais comuns: a ignorância – a compatibilidade energética – as dependências físicas – as descompensações emocionais – estados de espírito conflituosos – alterações ou desarmonias psíquicas.
Ainda que outras existam, são estas as vias de atracção mais comuns, pois no assédio espiritual não devemos considerar uma vítima e um vitimador, mas energias com pontos de afinidade.
Amigos, o tempo da desresponsabilização é finito! Como já focado noutros textos, existem vários tipos de assédio, existindo em cada um deles características que tal como uma antena emissora vão captar as ondas emitidas por outros emissores em frequência semelhante.
Por inúmeras vezes já abordamos também a Lei da Atracção e sua incidência constante no nosso dia-a-dia, também nestes assuntos, esta Lei, é Lei…
Vivenciamos tempos de grande turbulência energética, planos dimensionais com diferentes densidades, em vias paralelas muito aproximadas, trazem-nos sensações e percepções nunca antes sentidas em tão elevado grau.
Se nuns poucos as reacções são reconhecidas, já na grande maioria estas vão para o cesto comum: o cansaço, a depressão, o mal-estar generalizado com incidência em pontos vulneráveis do campo físico de cada pessoa.
A todos, a recomendação é: Profilaxia da Alma. Toda profilaxia tem início na higiene, esta, não é excepção…a higiene do corpo, do meio,  mas principalmente dos pensamentos:
- Transpor a barreira da comiseração, da vitimização da inferiorização
- Perfumar o ar com boa-vontade, trabalho, solidariedade
Outro, mas não menos importante ponto de actuação da profilaxia é a prevenção: 
- Compreender que somos seres espirituais, e que esta vertente (real) do Ser deve ser trabalhada e estar presente continuamente
- Renovar interesses, pelo autoconhecimento e auto-estima, transmutando a velha carência emocional, que como todo iniciado sabe, é a busca perene do seu próprio Eu
- Assumir e acarinhar o que se é, no mais e no menos. Pela aceitação o amor eclode e transforma, pois é essa, a razão da nossa missão.
- Viver cada segundo em plena gratidão, pois cada um, é mais um passo do Caminho
- A todos dar as mãos, pelo exemplo ser asa que ensina a voar, corda que permite elevar, tábua que ajude a flutuar, …pois isto, ou o contrário, ou nada, é o que vai ser a nossa onda de emissão e consequente atracção.

Paz e Luz no coração de todos nós


Maria Adelina



1 comentário:

  1. Bom dia. Tudo vem no tempo certo e esta partilha não é excepção. Vivenciam-se tempos de muito desequilíbrio, de enorme desarmonia; e tudo isto não é mais do que a consequência da ignorância e do medo. Mas não podemos esquecer de que somos seres humanos e consequentemente permissivos e, em última e primeira instâncias, os únicos responsáveis pelo constante "assédio" que nos permitimos sofrer. Elisabete Pinho

    ResponderEliminar

Seja Bem-Vindo