Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

Google+ Followers

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Discernimento



Discernimento

"Os que possuem o espírito de discernimento
sabem quanta diferença pode mediar
entre duas palavras parecidas,
segundo os lugares e as
circunstâncias que
as acompanhem."
( Blaise Pascal )


O discernimento é um subtil ponto de equilíbrio que, e mais do que nunca, devemos trabalhar e praticar em cada segundo das nossas vidas.
É a ponte que nos transporta ao Céu interior, ou então, aos Infernos que a cada momento recriamos pela interpretação que fazemos de cada situação vivenciada.
O discernimento é o apuro, no grau certo, na temperatura adequada, com os ingredientes precisos, com que vamos constituindo a obra-prima espaçada em actos, que são cada um dos nossos dias.
A linha tridimensional aperta o cerco, empurrando-nos, amorosa mas firmemente para o salto. O contra - poder, fazendo uso das ferramentas que a própria humanidade gerou, especialmente o negativismo e o medo, expõe galerias de miragens, onde o facilitismo espiritual, os "poderes"  por encomenda, o consumismo exacerbado, se tornaram oferta para a cura de todos os “males”.
As facilidades informativas à mistura com a mensagem subliminar, formam um potencial cocktail que é despoletado pela inconsequente atitude dos gurus do século XXI.

Cada um de nós é a imagem holográfica da Consciência Suprema a que chamamos Deus! Honremos a génese do Espírito Sagrado onde nos aprimoramos pelo percorrido da expansão consciencial, que evolui ao longo das nossas múltiplas encarnações. A amplitude de consciência é o nosso Espírito imortal que ancora em cada um, pelo autoconhecimento! Este, amplia-se pelo trabalho individual ou colectivo, partilhado em fraterna união e torna-se discernido pela integração da compaixão.

Pela via do discernimento:
- Desintegramos o sistema ilusório, e integramos a gratidão por todas as situações, as agradáveis e as dolorosas, pois todas são, foram, ou serão, pedras preciosas no nosso crescimento
- Abrimos o coração à doação altruísta, sem nos tornarmos cerceadores do caminho de cada um
- Estamos (realmente) para quem de nós precisa sem nos tornarmos dependência ou carência
- Percebemos que somos co-responsáveis do que nos rodeia, e que essas condições são apenas as barreiras a transpor, pela vontade expressa, pelo trabalho aplicado, pela acção.

Que o discernimento e a coragem acresça à Luz em nossas vidas

Maria Adelina



Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja Bem-Vindo