Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

Google+ Followers

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

AO INVÉS DE


Ao invés de

Séria e urgentemente se neutralizarem as razões e os "promotores" que levam os jovens ao caminho da dependência, assistimos passivamente ao facto de nas escolas as crianças serem privadas de aquecimento e de livros gratuitos (por falta de verbas), no entanto estão a ser criadas "Salas de Chuto" com todas as condições e segurança para que os viciados em drogas continuem a sê-lo, mas, com todas as comodidades…


 Ao invés de

Séria e profusamente se dar formação a nível nacional às famílias acerca dos malefícios do “fast food” e de outras coisas para que os pais tenham ferramentas de responsabilização, assim como  condições económicas e sociais para aquisição de bens alimentares de qualidade, assistimos passivamente, como as cantinas das escolas estão a ser confrontadas com as condições e a falta de qualidade dos alimentos que servem às crianças, e enquanto isso, os nossos excelentíssimos defensores e representantes políticos aprovam a Lei de proibição de alimentos em certos locais passando aos portugueses (como já é costume) um atestado de idiotas e incapacidade de escolha. Claro que para tão fundamental debate escolhem fazê-lo enquanto almoçam na "cantina" da Assembleia da República 









Ao invés de

Em cada concelho, freguesia, se criarem módulos de ensino e opção da valorização da saúde, e esta só pode ser feita pela prevenção por via do conhecimento das causas internas que deflagram depois nas doenças

permitimo-nos assistir passivamente à força energética de um país focado na discussão da liberalização da Cannabis Sattiva (mais conhecida por maconha) encapuçada, descaradamente disfarçada de estudo para os benefícios da saúde, quando sabemos que o real interesse é que esta se torne mais uma droga de alienação, cujos malefícios são imensos e gravíssimos, contrariamente ao que os promotores desta liberalização querem fazer passar... Qual a intenção última destes promotores? A machadada final na já fragilíssima teia social portuguesa?






Acorda Raça Lusa

Maria Adelina De Jesus Lopes


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja Bem-Vindo