Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

Google+ Followers

domingo, 8 de abril de 2018

Remir o Tempo


Remir o Tempo

Remir o tempo significa reconhecer quem somos, elevar-se internamente, e ao fazê-lo, e por ressonância, ganhamos tempo para o Planeta.

Os Polos Magnéticos Norte/Sul, e o próprio Campo Magnético da Terra estão em acelerada movimentação aqui e agora, produzindo alterações na litosfera que é a crosta da terra.

A deslocação gradual dos Polos Magnéticos provoca fortes ondas sísmicas que não são sentidas à superfície, mas sim nas massas mais profundas que e como já é notícia abrem fendas gigantes que vão surgindo por todo o globo sendo a última em África, por estes dias, pronúncio da mudança radical da configuração de todo o planeta.

Aqui e agora, o efeito dominó pôs em movimento muita coisa e ao mesmo tempo.

Além dos efeitos há muito verificados nos animais que se guiam por eco-localização magnética, estudados pelos cientistas, também os seres humanos estão a ser fortemente atingidos pela percussão dos mesmos efeitos, cuja sintomática provoca alterações comportamentais que raiam a irracionalidade, a reactividade compulso/agressiva que se espalha como uma epidemia, a qual muito poucos reconhecem, mas, ao reconhecer, adquirem o poder do seu controle e o consequente remir o tempo.

Esta espécie de “loucura” que a tantos atinge cujo rasto comportamental é o ectoplasma deletério que tinge o planeta e tantos dos seus habitantes de terríveis sofrimentos está num crescendo, cujo volume é desvalorizado pelos imersos nas suas agendas alienantes e alienatórias “cegos” que não querem ver.

Muito podemos fazer com as ferramentas mais singelas, indiferente e independentemente de qual o destino individual, é fundamental a re_ligação contínua à nossa base essencial situada algures no Cosmos, onde as convulsões terrestres são observadas como um processo de auto-escolha e aceites como tal.

Muitas formas existem de abraçar a re_ligação consciente (fundamental e premente) várias vezes ao dia, façamos, em lúcida consciência, as nossas escolhas.

A.

8 de Abril 2018




Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja Bem-Vindo