Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

Google+ Followers

terça-feira, 6 de março de 2018

Chico Xavier e os Animais - Artigo enviado p/ Marta Sobral



Chico Xavier e os animais:um testemunho amoroso, mas lúcido sobre a essência da dignidade dos animais, seu papel nas nossas vidas e nosso na deles. Em tempos em que se vive o paradoxo da convivência da crueldade e maus tratos dos animais, com a sua humanização/infantilização para satisfazer vazios emocionais humanos, a visão deste homem, influenciada pela doutrina espírita em que o seu pensamento se insere, é um contributo sereno, lúcido e compassivo para se perceber o papel dos animais nas vidas dos homens e a responsabilidade ética/espiritual que essa relação faz recair sobre a espécie humana. Esta, pela desconexão com a natureza que resulta da visão materialista da vida e da existência, esquece-se que também ela é parte do reino animal que tanto agride, sendo o único animal no Planeta que, fazendo mau uso do livre arbítrio e da consciência de que que foi dotada, escolheu matar por prazer, lúxuria,crueldade, diversão, pois todos os outros animais só matam para satisfazer necessidades básicas de alimentação e protecção. Muito se faria pela causa animal e humana se os cristãos, nas suas homilias semanais, ouvissem palavras como estas, tão cheias de compaixão e respeito pelo reino animal, e as tornassem acção para lá da porta da igreja, perpetuando o exemplo do Mestre do amor e respeito pela dignidade de todos os seres, que preferem continuar a lembrar apenas inerte numa cruz.

“Um amigo perguntou ao Chico qual o animal mais evoluído espiritualmente e dele anotou a resposta:

É o cão. O cão desperta muito amor e é modelo de fidelidade. As pessoas que amam e cultivam a convivência com os animais, especialmente os cães, se observarem com atenção, verificarão que os vários espécimes são portadores de qualidades que consideramos quase humanas, raiando pela prudência, paciência, disciplina, obediência, sensibilidade, inteligência, improvisação, espírito de serviço, vigilância e sede de carinho, infundindo-nos a idéia de que, quanto mais perto se encontram das criaturas humanas, mais se lhes assemelham, preparando-se para o estágio mais próximo da hierarquia espiritual.

Segundo o iluminado Espírito Emmanuel os animais são nossos parentes próximos, com sua linguagem, seus afetos e sua inteligência rudimentar.
Chico Xavier respondendo a uma pergunta sobre os animais, disse:
Nossos benfeitores espirituais nos esclarecem que é preciso que todos nós consideremos que os animais diversos, a nos rodearem a existência de seres humanos em evolução no planeta Terra, são nossos irmãos menores, desenvolvendo em si mesmos o próprio princípio inteligente.
Se nós, seres humanos já alcançamos os domínios da inteligência desenvolvendo agora as potências intuitivas, eles, os animais, estão aperfeiçoando paulatinamente seus instintos na busca da inteligência da mesma maneira que nós humanos aspiramos alcançar algum dia a angelitude na Vida Maior, personificada em nosso mestre o Senhor Jesus, eles, os animais aspiram ser num futuro distante homens e mulheres inteligentes e livres. Assim sendo, nós podemos nos considerar como irmãos mais velhos e mais experimentados dos animais.
Deus outorgou aos homens a condição e proteção de nossos irmãos mais novos, os animais.
E o que é que esta humanidade tem agido em relação aos animais nos inúmeros séculos de nossa história?
Porventura nós, os homens, não temos nos transformado em algozes dos animais ao invés de seus protetores fiéis?
Quem ignora que a vaca sofre imensamente a caminho do matadouro?
Quem duvida que minutos antes do golpe fatal os bovinos derramam lágrimas de angústia?
 Não temos treinado determinadas raças de cães exaustivamente para o morticínio e os ataques? Que dizermos das caçadas impiedosas de aves e animais silvestres unicamente por prazer esportivo? Que dizermos das devastações inconsequentes do meio ambiente?
Tudo isto se resume em graves responsabilidades para os seres humanos. A angústia, o medo e o ódio que provocamos nos animais lhes alteram o equilíbrio natural de seus princípios espirituais.

A responsabilidade maior recairá sempre nos desvios de nós mesmos, que não soubemos guiar os animais no caminho do Amor e do Progresso, seguindo a Verdade de Deus.
Marta Sobral




1 comentário:


  1. Mais uma pertinente chamada de atenção sobre uma das realidades que envergonha a humanidade, a forma como tratamos os animais.
    Lembro as palavras de Leonardo Da Vinci:

    "Chegará o tempo em que o homem conhecerá o íntimo de um animal e nesse dia todo crime contra um animal será um crime contra a humanidade."

    Leonardo da Vinci

    ResponderEliminar

Seja Bem-Vindo